O mundo é uma festa, mas o gelo está acabando


Nada é mais forte que uma idéia cujo tempo chegou

Esta frase marcou a campanha de Marina Silva à Presidência, e foi respaldada pelos pouco menos de 20 milhões de votos conquistados pela candidata.

O resultado reflete a expectativa de uma parcela significativa da população brasileira de colocar em disputa uma nova política alicerçada em valores como a ética, a sustentabilidade, a justiça e a democracia e a velha maneira de fazer política, corroída pelos interesses particulares, pela corrupção, pelo desrespeito ao processo democrático.

Aproveitar a oportunidade das eleições para enfrentar  esse debate nos fortalece enquanto Partido e enquanto sociedade.
 
O Partido Verde saberá reconhecer o momento histórico e agir em  consonância com o desejo real de mudança expresso pelas urnas.

O PV tem a chance de se transformar no catalizador desse processo e assumir de forma inequívoca sua vocação de ser um Partido de Valores.



Escrito por Adriana Ramos às 10h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A onda verde

Marina Silva foi uma surpresa para os que apostavam no plebiscito. E uma opção para quem quis fugir dele.

Marina conquistou quase 20% do eleitorado nacional (19,636,331 votos). Muito mais do que os pouco menos de 3 milhões de votos que os candidatos a Deputado Federal do PV tiveram em todo o país. Cresceu, portanto, muito mais do que o próprio partido, que também sai desse processo fortalecido.

O que motivou a onda verde não foi só a pauta da sustentabilidade como muitos tendem a querer limitar. Marina mobilizou pela novidade, pela coerência, pela trajetória, pelas propostas. Pela ética e pela promessa de um novo jeito de fazer política mais do que por qualquer outra coisa.

Por isso, a contabilidade e o movimento que agora fazem PT e PSDB em busca de seu apoio podem não levar à conquista dos votos dados à Marina na reta final.

O projeto representado por Marina Silva requer muito mais do que negociação de cargos ou outras benesses. Requer compromisso com o Brasil e não apenas com a eleição.

Assim como Marina, defendo a realização de um amplo debate no PV e junto aos núcleos vivos da sociedade para decidir não quem vamos apoiar no segundo turno, mas sim como vamos dar continuidade ao nosso projeto de um novo país.

Se algum dos candidatos que disputam agora a vaga de presidente do Brasil quiser se comprometer com as propostas que apresentamos durante a campanha, todos só temos a ganhar.

Mas é fundamental que não menosprezem o que interessa aos eleitores que fizeram a onda verde.

Como muito bem disse nossa candidata: “A gente ganha ganhando quando vai até o fim coerente com os princípios, não distorcendo nem desvirtuando os fins dos meios. Os fins têm que ser compatíveis com os meios".



Escrito por Adriana Ramos às 16h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Centro-Oeste, Mulher, de 36 a 45 anos
Histórico
Votação
  Dê uma nota para meu blog